Número de WhatsApp do Ricardo Boechat

Ricardo Boechat, o âncora do Jornal da Band teve seu número de WhatsApp vazado durante um programa na rádio Band News FM, veja qual é o número de celular e WhatsApp dele.

Só divulgue para pessoas mais próximos, pode mandar um zapzap para o Ricardo Boechat que ele vai responder rapidamente, como vem fazendo.


Número de WhatsApp do Ricardo Boechat

WhatsApp do Ricardo Boechat é: 11 3982-0808

2 comentários sobre “Número de WhatsApp do Ricardo Boechat

  1. Senhor, o Boechat não vota em ninguém faz tempo!

    Os comentários dele são justos e imparciais!

    Parece que o senhor é a favor do auxilio moradia!!

  2. Prezado Ricardo Boechat,

    Bom dia! Sou ouvinte, há muito tempo, do seu programa das 7:30 horas, da BandNews FM. Além da importância das matérias, muitas das suas qualidades profissionais me atraíram para o seu programa e uma delas se destacou, que foi a imparcialidade. Inegavelmente, você é um comunicador extraordinário, tem talento, articula bem, tem uma capacidade formidável de síntese, tem retórica e eloquência invejáveis.

    De algum tempo pra cá você tem posto no ar destacados problemas nacionais, onde, de maneira parcial, apaixonada, tem se revelado eleitor fora de época de Lula, o que lhe retira aquela credibilidade de formador de opinião isento, afastando-o do bom senso de justiça e da razoabilidade.

    Só para ficar no caso mais recente e emblemático, o julgamento de Lula, do dia 24 próximo passado, pela 8ª Turma do TRF da 4ª Região, você se posicionou a respeito deixando claro de que lado você está, o que prejudicou sobremaneira o debate e o exercício da democracia, lamentavelmente.

    A Lei da Ficha Limpa é fruto da iniciativa popular, teve projeto de lei subscrito por 1,6 milhão de assinaturas, número recorde de eleitores, de todos os Estados da Federação, foi aprovada pela Câmara, pelo Senado de maneira unânime e foi sancionada pelo Presidente da República, que por coincidência à época era o Senhor Luiz Inácio Lula da Silva.

    Enfim, é essa Lei (Complementar) que mais traduz o poder do povo. É a mais pura expressão popular. É o poder do povo cristalizado e referendado pelo Estado Democrático de Direito. Isso não é pouco não!

    Lula acaba de ser condenado por decisão judicial colegiada, que de acordo com a Lei da Ficha Limpa, o remete para uma situação de inelegibilidade, inclusive, para o pleito de Presidente da República que se avizinha.

    No particular, o que não dá para aceitar é que o STF ponha em pauta esse assunto, que estava programado somente para fazê-lo no próximo ano, exatamente visando favorecer Lula. Como se no Brasil nós tivemos dois tipos de cidadãos, um que se aplica as leis que aí estão e o outro se faz a lei ou a decisão através da Alta Corte ao gosto do poderoso de plantão, do cidadão de primeira classe.

    Até porque tem muita gente presa e inelegível por força da Lei da Ficha Limpa.

    Portanto, dois pesos e duas medidas. Isso é inaceitável.

    De mais a mais, hoje pela manhã (26/01/2018) você foi implacável, contundente, sem embasamento técnico e visivelmente dominado pela emoção e parcialidade, contra a acertada e necessária decisão do Dr. Ricardo Augusto Soares Leite, da Justiça Federal do DF, que determinou a apreensão do passaporte do ex-Presidente Lula. Essa providência foi processualmente legal, constitucional, sensata e equilibrada, até porque o ex-Presidente se encontra condenado com base na Lei Complementar 135/2010 e contra si também pesam mais 06 denuncias em distintos processos, formalizadas pelo Ministério Público Federal, por conta de acusações similares, porém por motivações ainda mais graves e os rumores correntes davam conta que o ex-Presidente estaria afivelando as malas para deixar o País, em busca de asilo político.

    Para fazer uso de uma expressão muito utilizada por você (Boechat) – “Não podemos mudar as regras do jogo, depois do certame iniciado”. Pensar diferente é o arbítrio, é a ditadura, é o totalitarismo, é o faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço e a negação da própria Democracia.

    Por ser ex-Presidente da República, gozar de confortável aceitação popular com vistas às próximas eleições para Presidente da República não o isenta de obedecer os ditames da leis brasileiras, desde que culpado. A lei é feita para todos.

    Sobre esse assunto o mundo dá exemplo, inclusive, recentemente o Presidente Ollanta Humala do Peru, os ex – Presidentes Ricardo Martinelli do Panamá, Carlos Menem e Jorge Videla, ambos da Argentina (este último morreu no cárcere) foram presos por acusações similares de corrupção atribuídas ao ex-Presidente Lula.

    À propósito, o Juiz Sérigo Moro na sentença de 1º grau que condenou o ex – Presidente cunhou memorável frase que diz: “Não importa quão alto você esteja, a lei ainda está acima de você”.

    Assim, como o ex-Presidente não está acima das leis brasileiras, inclusive daquela por ele sancionada, em respeito ao Estado Democrático de Direito, que ele seja submetido, nem mais nem menos, as leis do seu País, por conta dos crimes que lhe são imputados, sob pena de perdermos o bonde da história.

    Um forte abraço.

    Cordialmente,

    Milton Gomes

    Advogado
    OBS: Eu e alguns amigos ficaríamos satisfeitos que este artigo fosse publicado e que você fizesse comentários a respeito do mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *